Posted byTrunkael | Marcadores: , | às 11:51 |

Mais uma vez ele estava sentado àquele banco, fingindo estar interessado no livro que lia, era a segunda semana de aula e ele ainda não conhecia ninguém, apenas o banco era seu amigo.

Um romance qualquer, de um escritor americano qualquer, com um desfecho qualquer que não o surpreenderia, mas mesmo assim, um livro, e por si, uma companhia para sua solidão.

É um nerd, diriam; é alguém de intelecto superior que supre suas necessidades sociais com essas palavras impressas; é um arrogante garoto que se afoga em leitura para demonstrar superioridade aos pobres mortais que não têm anseio por leitura, um presunçoso e nada mais, diriam.

E ninguém durante meses o atrapalharia em sua leitura, sua imagem estaria formada, e o banco seria dele, como se lá sempre tivesse uma estatua a ser observada por todos, umas estatua enigmática: "Desvenda-me ou te devoro".

E por dois meses ele ainda seria visto dessa maneira, até que uma aluna nova chegaria a escola, e na primeira oportunidade lhe lançaria um simpático: "olá" como se ele não fosse uma estatua e sim um ser humano. Ele fecharia o livro e conversaria com a simpática moça.


Ela pensaria: que garoto interessante gosta de leitura durante o intervalo, tem um papo interessante, e até é charmoso. E namoraria com o nerd mesmo que só por alguns meses, e ele logo se tornaria uma pessoa, não mais uma estátua, um ser sociável, que começaria a ter colegas, e quem sabe até amigos ali dentro.

O que antes era uma estatua se tornava uma criatura de sangue quente, que de tanto tempo escondia em uma carapaça protetora, começaria a esbanjar o amor que sempre esteve retido em seu coração.

Tudo por causa de um "olá"

Então, não próxima vez que ver alguém lendo um livro sozinho em meio a muitos grupos de jovens se divertindo, se arrisque e diga um "olá", o mínimo que receberá é um sorriso de satisfação e alívio, e terá salvado uma alma triste pelo menos por um dia.

  1. Eu quase que não publico esse conto de tão ruim que ele é, além disso é constrangedor, afinal na época em que escrevi eu era o protagonista e em geral essa minha antiga timidez ainda me enche de vergonha (há). Mas teve vários comentários, então está ai.

  1. oiee! joinha? gostei do teu blog..passa lah no meu tah?1 bju

    06-02-2004 19:16:59

  1. Eu sou o cara sentado no banco, lendo o livro, se esforçando para não olhar de soslaio para uma menina que nem notou minha presença. Mas nunca aceitei o título de nerd (mesmo porque só fui chamado disso uma vez, por uma mulherzinha insuportável) "Nerd não, minha jóia. Intelectual."

    06-02-2004 21:32:47

  1. John, você é um nerd, que tal visitar o Fosforo Verde e aprender a conviver com a própria nerdisse. Assuma cara. ^^

    08-02-2004 22:04:10

  1. Eu nunca entendi o que é que faz de alguem um nerd... se for aplicação nos estudos, ou domínio de computadores, ou um amor profundo por sci-fi, quadrinhos ou desenhos japoneses... eu definitivamente não sou, hehehe... mas acho que é mais abrangente, e estou apenas brincando com os estereotipos. O que, exatamente, faz de alguem um nerd?

    09-02-2004 02:48:50

  1. Eu fui pro fósforo verde e vi mencionarem o Dr. Seuss como um psicólogo e transformarem o seu "If I Ran the Zoo" numa obra contendo teorias de aceitação social (o livro é um grande devaneio de um menininho sonhando em ser dono do zoologico). Acho que vou passar mal...

    09-02-2004 14:16:16

  1. Não sei se seria apenas um olá... mas sim a expressão ao dizer olá...

    13-09-2004 08:08:56

  1. o "olá" poderia ter sido o começo de tudo... mas não foi... a moça, que transparecia segurança e felicidade, não passava de uma menina boba e infantil, que precisava desesperadamente se livrar de sentimentos que a prediam... o "olá" poderia ser o começo, mas a moça em seu desespero constante não soube dar continuidade a ele... e perdeu.... mais uma vez perdeu, por não saber se entregar.... perdeu por não saber AMAR...

    17-07-2005 13:59:44

  1. Li, e meus olhos se encheram de água... lágrimas incistiram em rolar e tudo que eu pude falar, tudas as palvras que eu pude articular depois foram: "Que Lindo!".

    11-02-2008 17:05:10

  1. Agora que li os comentários realmente estou convencido que esse texto merece ser republicado, vejam só, temos Bianca Torres me lembrando de nossa história, o John se escondendo no armário e até um Trovador emocionado.

Designer Webdesigner

Copyright 2010 Devaneios Gratuitos