Posted byTrunkael | Marcadores: , | às 04:45 |

É um livro de ficção científica que nem terminei de ler, é muito ruim, muito mesmo, tem vários contos, e como era de se esperar, um salva. Mas você não vai precisar pegar para ler essa única página que salva, é tão boa que vou colocar aqui.

Foi assim que aconteceu

Meu irmão começou a ditar, em seu melhor estilo oratório, aquele que mantém as tribos dependuradas em suas palavras.
- No princípio - dizia ele, - exatamente a quinze vírgula dois bilhões de anos, houve uma grande explosão, e o universo...
Mas parei de escrever. - Quinze bilhões de anos? - disse, incrédulo.
- Absolutamente certo - alegou ele. - Estou inspirado.
- Não estou questionando sua inspiração - disse eu. (Era melhor que não. Ele é três anos mais jovem que eu, mas não procuro questionar sua inspiração. Nem ninguém mais, ou já sabem o inferno que terão de aguëntar.) - Mas você vai contar a história da criação por um período de quinze bilhões de anos?
- Preciso - disse meu irmão. - Foi o tempo que levou. Tenho tudo aqui - e bateu em sua testa - a mais alta autoridade.
Mas agora eu já tinha pousado meu estilete. - Sabe quanto está custando o papiro?
- Quê? - (ele pode ser inspirado, mas frequentemente notei que a inspiração não incluia assuntos sordidos como o preço do papiro).
- Suponha que você descreva um milhão de anos de eventos em cada rolo de papiro. Isso quer dizer que você precisará de quinze mil rolos. Precisará falar o suficiente para encher todos eles e sabe que vai começar a gaguejar, depois de algum tempo. Vou precisar escrever o suficiente para encher todos eles e meus dedos vão cair. E, mesmo que pudéssemos pagar todo esse papiro, e você tivesse a voz, e eu a força, quem vai copiar? Precisamos ter garantidas umas cem cópias antes de podermos publicar e, sem isso, de onde virão os nossos royalites?
Meu irmão pensou um pouco. - Acha que devo resumir?
- Bastante, se espera atingir um grande público.
- Que tal uns cem anos?
- Que tal seis dias?
Ele replicou, horrorizado: - Você não pode espremer toda a Criação em seis dias!
- É todo papiro que tenho. O que você acha?
- Ora, está bem - e começou a ditar denovo: - No princípio... - Precisam ser seis dias, Arfão?
E eu respondi, firme: - Seis dias, Moisés.

  1. Caramba... sabe aquelas histórias que dá raiva de não ter escrito você mesmo? Essa é uma delas. O livro não pode ser tão ruim...

    27-02-2004 20:13:06

  1. Eu gosto do Asimov cara, li Eu, robô, e estou lendo Os novos robôs. Acho bastante engenhosos os contos dele, pelo menos os de robôs positrônicos. Li também uns livrinhos explicativos que ele escreveu, com uns assuntos ligados ao universo. Eu admiro bastante ele.

    27-02-2004 20:57:35

  1. Hey John, pode ter certeza que eu tive essa sensação quando o li. E Marcel, eu, como disse, só li os primeiros contos dele e alguns menores, realmente não gostei do modo que ele escrever, achei que são contos muito vazios que levam do nada a lugar nenhum, mas talvez vc tenha um interessante para me mostrar.

    29-02-2004 13:55:39

  1. Concordo quando diz que acaba do nada... mas discordo sobre o lugar nenhum. Claro que os questionamentos que ele faz eram muito mais polêmicos na sua época... no mais ele escrevia por dinheiro, ou seja, páginas = $$$, o que origina os contos pouco inspirados (ao contrário desse ótimo sobre a criação). Ainda bem que náo li tudo... hehehe

    01-03-2004 19:44:22

  1. a partir daqui já lia seu blog diariamente ;-) amei esse conto tb, como o John falou: o livro não pode ser tão ruim

    26-05-2004 02:22:25

  1. Hohoho, ainda dou uma risadinha quando leio esse conto. E algum tempo depois descobri como ler Asimov e acabei gostando.

Designer Webdesigner

Copyright 2010 Devaneios Gratuitos