Posted byTrunkael | Marcadores: , | às 12:50 |

Adoro a chuva. Hoje voltei pra casa na chuva, eram umas 10 horas da noite e minha aula estava acabando, os raios partiam o ar causando trovões, e as gotas d´água começavam a cair, peguei minha mochila e desci, comi um cachorro quente e comecei minha peregrinação para casa. Aqueles 5 quiilometros que me separam do mundo. E a chuva caia sobre meus ombros, molha minha blusa, minha calça, minha mochila, meu corpo, minha alma.
Não me lembrava o quanto a chuva era boa, era reconfortante, como se ela acariciasse meu ombro e dissesse: "está tudo bem Rafael, logo tudo se resolverá". 


Andei por cerca de uma hora sob a fina chuva, carros passavam pra lá e pra cá, alguns passavam por poças d´água e me molhavam, e como era bom a sensação da água batendo na calça, e dizendo: "não pode me deter". No final já estava dando paços largos nas poças d´água e chutando a enxurrada, esperimentndo toda aquela água invadindo meus sapatos e minha mente. 

E mesmo eu rezando para que a chuva aumentasse, e realmente me lavasse por inteiro, ele permaneceu fraca e complacente, como se esperasse eu chegar em casa para despejar toda sua ira sobre o mundo. E foi o que aconteceu, enquanto eu tomava banho a chuva começou a cair com ira sobre a terra, lavando a "anima mundi" e dessa chuva não tive o toque, pude apenas observar de longe ela caindo em rajadas sobre a terra.

Designer Webdesigner

Copyright 2010 Devaneios Gratuitos